top of page
Buscar
  • Foto do escritorErica Alonso

Costa Firenze: tudo sobre o navio que fará sua estreia no Brasil.


Inauguração em 2020, 2.163 cabines, 969 delas com varanda, 135 mil toneladas, 323,63 metros de comprimento, 37,2 metros de largura e capacidade de 5.260 passageiros, 13 restaurantes e sete bares. Sempre é necessário dar números sobre os navios que vêm ao Brasil para que agentes de viagens e operadores possam vendê-los adequadamente, mas isso é tarefa fácil perto de explicar o quanto uma viagem pode ser completa dentro de uma embarcação como o Costa Firenze.


Isso porque sua oferta é tão vasta que pode proporcionar, na mesma viagem, experiências completamente distintas a passageiros com suas preferências. Balada, descanso, diversão, esporte, gastronomia, cultura, entretenimento e celebrações.


O Costa Firenze fará sua estreia no Brasil a partir de dezembro, com o título de maior da América do Sul da companhia italiana, que atua no continente desde o início da sua história de mais de 70 anos.


"A escolha da Costa Cruzeiros de levar o Costa Firenze ao Brasil é perfeita. É um navio novo, e brasileiro gosta de explorar o que é novidade. É um navio grande, o que dá espaço para muitas atrações. São tantas que é até difícil ver tudo. Shows e atrações acontecem o tempo todo, em cada canto do navio. O brasileiro adora isso", sintetiza o franqueado , Cláudio Vila Nova.


Ele e mais três profissionais, alguns com seus familiares, conheceram o navio no fim de julho, a convite da Costa Cruzeiros, e gostaram do que viveram. A viagem deles foi no Mediterrâneo, mas a vivência a bordo foi mais do que válida - e essencial para as vendas. Nos cruzeiros no Brasil, cerca de 50% dos passageiros optam por curtir o navio e não descer nos portos durante as paradas, diferentemente da média europeia, onde este índice fica em torno de 25%, estima o diretor de Hotelaria da Costa Cruzeiros Raffaele Cinque (veja entrevista a seguir).


Costa Firenze preza por espaço a céu aberto.


"Esse famtur me ajudou muito, pois fazia tempo que eu, particularmente, não embarcava em um cruzeiro com a Costa. Me atualizei bastante. Captei muita informação sobre a companhia, tipo de atendimento, estilo do navio. Sem dúvida nenhuma me ajudou a compreender o funcionamento e a filosofia da empresa", completou Vila Nova.


Se ele, que é integrante da maior rede de franquias de Turismo do Brasil, acredita que a capacitação in loco vai ajudá-lo, outros dois agentes de viagens, estes pertencentes a estruturas mais enxutas, familiares, já conjugam o verbo no presente.


"O que mais me chamou atenção no Costa Firenze foi o Lounge Bar Della Moda, o Music Lounge, o Rope Garden, com suas atividades de arvorismo (exclusivo do Costa Firenze), tobogã, teen zone, minigolfe e o lindíssimo restaurante Dei Medici", avaliou Paula Maluf, que estima já ter vendido quase 250 passageiros para o cruzeiro de Natal a bordo do Costa Firenze.


Famílias e casais são o público ideal do navio, na visão dos agentes. "Nas minhas redes sociais, o navio despertou o interesse do público de 30 a 60 anos que pretende viajar com a família. Não acredito que seja um navio tão recomendado para grupos de jovens", afirmou Carlos Guimarães. "Meus clientes se interessaram sobretudo nas fotos e vídeos de comida. O restaurante Teppanyaki, por exemplo, me surpreendeu positivamente, e acho que assim será com meus clientes."


Serviço foi outro ponto positivo mencionado pelos agentes. Por todos os cantos da embarcação há um funcionário Costa para saudar e disposto a ajudar os cruzeiristas. Os profissionais convidados para o famtur acreditam que seus clientes gostarão de se sentir da mesma maneira que foram tratados no Mediterrâneo, onde os sorrisos foram inevitáveis e o "obrigado" com sotaque carregado foi constante quando eram identificados como brasileiros. O Costa Firenze fará cruzeiros de seis e sete noites pela Bahia e Rio de Janeiro, com embarques no Rio de Janeiro, Santos (SP) e Salvador, entre dezembro de 2022 e abril de 2023. Duas das saídas mais especiais são a de Natal e Réveillon a bordo.


O Costa Firenze realiza seu cruzeiro de Réveillon de sete noites, com embarques de hóspedes nas cidades do Rio de Janeiro, de Santos e de Salvador nos dias 25, 26 e 29 de dezembro de 2022, respectivamente. O cruzeiro de Réveillon do Costa Firenze estará atracado na praia de Copacabana no dia 31 de dezembro para o tradicional e famoso espetáculo da queima de fogos de Ano Novo.


Haverá ainda minicruzeiros em março e abril de 2023, saindo de Santos e visitando o Rio de Janeiro, uma oportunidade interessante a quem não tem muito tempo e ainda pode aproveitar o navio inspirado em Florença.


Sim, o Costa Firenze é dedicado a uma das mais belas regiões da Itália, Florença, a maior cidade da Toscana, um destino onde a vida ao ar livre é celebrada. Não à toa, este é um dos navios da frota da Costa Cruzeiros com a maior oferta de espaços e atrativos externos para seus hóspedes, para relaxarem e se divertirem em bares, lounges, festas e brincadeiras. Todos os restaurantes têm ao menos uma parte da esplanada aberta para o mar.


Na parte interna, a Toscana, berço da arte e da cultura do Renascimento, está presente na decoração, no estilo e na gastronomia, como no espaço exclusivo Frescobaldi Wine Experience, onde é possível degustar alguns dos melhores vinhos da Itália, harmonizados com a iguaria perfeita para cada uma das bebidas. A atividade é reservada para pequenos grupos, para que o sommelier não deixe nenhum participante na mão. A reserva tem de ser feita antecipadamente.


RESTAURANTES

Um dos pratos assinados por Bruno Barbieri a bordo do Costa Firenze.


Palazzo Vecchio, Dei Medici e o bufê Versillia Deck oferecem as refeições incluídas na compra da cabine, que são interessantes, variadas (todas as noites há um Prato de Destino diferente), fartas e entregues por um bom serviço, mas vale a pena sugerir ao cruzeirista que invista em pelo menos um restaurante de alta gastronomia a bordo, estes pagos separadamente. No quinto deck do navio se concentra a maioria deles. Veja os destaques:


Restaurante Casanova: pratos mediterrâneos criados exclusivamente para a Costa pelos chefs internacionais (e celebridades) Bruno Barbieri, Hèlène Darroze e Ángel Leòn, que, juntos, somam 16 estrelas Michelin;


Fiorentina Steak House: degustação de carnes italianas;


Lanai BBQ: mais uma opção para saborear um autêntico churrasco;


Burger Bar: serve hambúrgueres e fogaças, ideal para quando bate aquela fome no meio da tarde;


Teppanyaki: comida asiática com direito a show dos chefs, que fazem malabarismo com os ingredientes, cantam e divertem os clientes;


Sushino, Hot Pot e Dim Sum: outras três boas opções para os amantes da culinária asiática;


Pizzeria Pummid'Oro: tradicionais pizzas italianas produzidas todos os dias a bordo;


Gelateria Amarillo: aberta praticamente o dia todo servindo sorvetes artesanais típicos, também produzidos a bordo;


Palazzo Vecchio e Dei Medici: dois dos maiores restaurantes do navio, com espaços requintados e oferta variada.

Comida e entretenimento no Tepanyaki.


BARES

Os bares reforçam a proposta de vida ao ar livre. Aperol Spritz Bar deve cair no gosto do brasileiro, já que o drinque italiano nunca fez tanto sucesso no País; o elegante Lounge Bar della Moda tem um espaço aconchegante de sofás e cadeiras e é perfeito para assistir ao pôr do sol com boas companhias; e o Versilia Sunshine Deck é para quem quer relaxar na piscina.

Bar Aperol Spritiz.


Aliás, quem busca recarregar as energias em alto nível não pode deixar de conhecer o spa privado Solemio, com sauna, jacuzzi e salas de tratamentos para massagens, todas com vista para o mar. No menu, massagens de quartzo, de alecrim e tomilho e a esfoliação limoncello se destacam.


JOGOS, DIVERSÃO E ENTRETENIMENTO

Opções para se divertir a bordo não faltam no Costa Firenze. Para os adultos, um cassino com bar, caça-níqueis e mesas de jogo, que funcionam na temporada brasileira, exceto quando o navio está atracado. Bares, festas todos os dias, espetáculos musicais, shows de comédia, The Voice of the Seas e várias outras atividades.


Noite agitadas para quem gosta de agito no Costa Firenze.


Duas áreas do navio são inteiramente dedicadas aos adolescentes: uma coberta, com área de Playstation, e outra externa com tênis de mesa, Twister e bilhar. Eles ainda têm acesso ao Aqua Park com escorregadores e jogos aquáticos e a um Adventure Park onde a diversão se suspende entre o mar e as pontes tibetanas.


Já o Squok Club é para os mais novos: aqui as crianças podem se divertir com as luzes e sons dos jogos digitais NEOS, e brincar ao ar livre, sob a supervisão dos monitores. Para os amantes do esporte, há um campo de futebol, onde podem se desafiar em jogos emocionantes com a família ou com os amigos.


Diariamente, o informativo Oggi a Bordo é distribuído nas cabines apontando toda a programação, com cada detalhe. De yoga a festas, de seminários a visitas guiadas, de escolas de danças a personal trainer a bordo, de bingo a disco night, além de detalhes sobre as excursões. Basta se informar e se divertir.


RESORT FLUTUANTES


Raffaele Cinque , diretor de Hotelaria na Costa Cruzeiros.


Raffaele Cinque é diretor de Hotelaria da Costa Cruzeiros, onde trabalha há seis anos (são 18 no setor de cruzeiros). A cada cruzeiro, o executivo tem cerca de 850 membros da tripulação a ele respondendo. Seu trabalho é cuidar de toda organização, restauração, eventos, Alimentos & Bebidas, entrada e saída dos portos, todas as práticas de imigração, tudo o que é relacionado aos passageiros a bordo, para que toda a experiência saia da melhor maneira possível. "É um trabalho apaixonante", diz ele à Revista PANROTAS, a quem concedeu entrevista no Mediterrâneo, antes de vir ao Brasil para a temporada.


REVISTA PANROTAS - O que o Brasil tem de diferente de outros locais em termos de operação nos cruzeiros?

RAFFAELE CINQUE - O brasileiro entra a bordo para curtir o navio, sem se importar muito com o itinerário. O europeu tem um perfil mais de quem busca relaxar, enquanto o brasileiro costuma procurar diversão. No Brasil, é importante fazer os clientes sentirem a atmosfera do navio, o mar, o serviço, a hospitalidade. Essa é a razão pela qual buscamos melhorar todos os anos e melhoramos. Somos uma empresa de 70 anos no setor, muito mais do que outras empresas. Tentamos sempre fazer o impossível virar possível. O mercado brasileiro é muito bom. Muito importante para nós.


PANROTAS - Quer dizer que quando os navios param nos destinos brasileiros, menos hóspedes descem em comparação com outros países?

CINQUE - Sim. Aproximadamente metade dos passageiros desce para curtir as cidades brasileiras, enquanto na Europa este índice gira em torno de 70%, 80% a depender da cidade. No Brasil, a maioria dos cruzeiristas já conhece os destinos de parada.


PANROTAS - O que isso muda na operação?

CINQUE - É desafiador, de certa maneira, pois fazemos o máximo possível para que as pessoas que ficam a bordo curtam o navio com liberdade de escolha. É formidável ver a relação familiar que se cria entre tripulação e passageiros passados poucos dias de cruzeiro. Ficam lembranças fantásticas.


PANROTAS - Considerando que excursões são uma das principais fontes de receita de uma companhia de cruzeiro e que o brasileiro desce menos nos destinos, como preencher o vazio dessa receita?

CINQUE - Com Alimentação e Bebida, que também é uma fonte crucial de receita para uma companhia de cruzeiro, tanto quanto as excursões. No Brasil, o consumo de bebidas é alto e essa receita é importante para nós.


PANROTAS - Então a adesão aos pacotes de bebida nos cruzeiros do Brasil é maior do que a média?

CINQUE - Muito maior. Além do clima convidativo para um brinde, isso é algo cultural, pois o sulamericano gosta de tomar uma cerveja, um destilado, enquanto está batendo um papo. O europeu já busca mais um café, um chá. O brasileiro é mais disposto a fazer amizades a bordo, conhecer gente nova, enquanto o europeu tende a ser mais fechado. Nós adoramos o brasileiro, os tripulantes adoram atuar o Brasil, e não estou falando isso apenas para agradá-los.


PANROTAS - Para a Costa é interessante que os hóspedes já embarquem com os pacotes de bebidas adquiridos?

CINQUE - Para nós é importante, assim abastacemos o navio e ficamos prontos para oferecer o melhor ao hóspede. Quem compra a bordo pode perder tempo para adquirir e ainda ser apresentado ao programa.


PANROTAS - Se o brasileiro gosta tanto assim de fazer cruzeiro e vive em um país com baixa dependência de sazonalidade (clima agradável o ano todo), o que falta para o Brasil ter um cruzeiro regular da Costa Cruzeiros durante todos os meses?

CINQUE - É mais uma questão administrativa e política. Tem várias companhias, entre as quais a Costa, que há tempos pensam em deixar um ou dois navios durante o ano todo, mas infelizmente a infraestrutura e as altas taxas portuárias nos impedem. A vontade era justamente essa, diversificar itinerários. Encontrar o sol em alto mar no Brasil é muito fácil. Tem temperaturas muito boas o ano inteiro. Lamentavelmente, os custos deixam a operação inviável. Precisávamos de uma união das companhias de navegação com a Clia e isso certamente seria muito positivo, pois interesse existe.


PANROTAS - As temporadas já estão mais longas.

CINQUE - Exatamente. Antes acabavam logo depois do carnaval, agora se estendem até abril, tem até cruzeiros de Páscoa. Mercado tem, as pessoas gostam. É uma questão de ajustes. PANROTAS - O Brasil é desafiador em relação a abastecimento de produtos nos navios? CINQUE - Não temos qualquer problema com os produtos locais, temos bons contratos com bons fornecedores. E claro que temos muitos produtos que levamos da Europa. Nossa intenção é dar o gosto da Itália a bordo sempre que pudermos.


PANROTAS - Qual a importância dos agentes de viagens para vender os produtos Costa Cruzeiros?

CINQUE - O agente de viagens tem de se atualizar sempre que puder. Os produtos Costa Cruzeiros são renovados com frequência e a venda via agente de viagens é fundamental para nós. Além disso, há promoções, ofertas e oportunidades a todo tempo. A dica é manter o contato direto com o escritório da Costa Cruzeiros no Brasil e seus executivos de vendas. Portar a informação correta é especialmente importante. O brasileiro gosta de comprar com o agente de viagens, pois ele prefere a experiência olho no olho para adquirir seus produtos.




10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page